icon-arrow-down icon icon-arrow-fill-down icon icon-arrow-next icon icon-arrow-prev icon icon-tag-close icon

Desenvolvimento Infantil

11 verdades sobre as crianças de 3 anos

A vida de uma criança de três anos é um turbilhão de tentativas e estímulos à independência — misturados com uma pitada de acidentes ao pinico e momentos de aconchego

Por Courtney Thompson
compartilhar
Getty Images
Eis um fato sobre essa idade — eles não têm mais dois anos, e ainda não chegaram aos quatro. Inovador, nós sabemos. Tal fato os coloca na adorável posição a qual buscam a independência, fazendo milhões de perguntas, e fingindo o entendimento em níveis surpreendentes. Todas as crianças são diferentes, mas como uma mãe que tem três filhos abaixo dos quatro, percebi que tais fatos acerca das crianças de três anos são verdadeiros.

1. Eles ainda respondem a marionetes.  Tudo começa a fazer sentido ao três — eles estão se familiarizando com números, formas e cores, e ainda podem te surpreender com suas novas habilidades de comunicação. Mas ainda que eles tenham anunciado que não querem tirar um cochilo porque estão ocupados e cochilos são chatos, eles irão prontamente se envolver em um diálogo inteiro com uma marionete. Que está ligada ao seu braço. E não vão notar que os seus lábios estão se mexendo e que o som está vindo da sua boca. #adorável

2. Eles estão se tornando comediantes em miniature. Antes disso, você deu risada com seu bebê e do seu bebê, pois muito bem, eles eram bebês e despropositadamente engraçados. Mas agora, de repente essas crianças são legitimamente engraçadas — nos fazendo gargalhar com dancinhas, músicas bobas, movimentos dramáticos de heroísmo e reações perfeitamente sincronizadas.

3. Vai haver muita. Mas muita. Conversa. Se o silêncio é uma virtude, ele definitivamente deixou a sua casa. As crianças de três anos têm muito o que dizer e algumas vezes você precisa dizer que respirem com calma, pois eles simplesmente não conseguem expressar todos aqueles pensamentos extremamente importantes rápido o suficiente, e eles de fato realmente precisam que você preste atenção agora mesmo, por favor, por favor, por favor!

4. E muitas. Muitas. Perguntas. Porque a gente tem café da manhã? De onde vêm os dentes? Porque o coelinho da Páscoa não me deu um gatinho marrom? Cadê o papai? O que é trabalho? O “rosário” de perguntas que você terá que escutar diariamente é algo bom, pois significa que seu filho está ficando mais esperto com cada pergunta que você responde. Mas há vezes em que você gostaria de poder derramar um copo de leite sem ter que explicar de onde ele vem, aonde as vacas vivem, e por que você não é uma fazendeira.

5. A rainha (ou o rei) da independência se torna mais corajosa a cada minuto. Mas essa independência pode se tornar uma luta quando se trata de, digamos, se vestir durante a manhã, colocar os sapatos, ou passar o shampoo no cabelo. Separe um tempo extra na sua rotina pela manhã e noite para evitar  pane geral.

6. Você vai sentir falta da hora do soninho. Bem quando começar a sentir que virou um escravo da agenda de cochilos de seu filho, eles vão recusar aquela última soneca e você sentirá falta daquela pausa da tarde muito mais do que imaginava. Enquanto a maioria das crianças evitam o último cochilo aos quatro, isso ainda pode ser muito difícil de prever. Em alguns dias eles vão cochilar e aí ficar de pé até as 9 da noite, acessos e querendo água, uma outra história e um último aconchego. Em outros dias eles não vão cochilar e vão ficar um caco lá pela hora da janta. Quando seu filho evitar uma soneca, estabeleça uma hora para um momento de quietude durante a tarde — isso vai ajudar a recarregar suas baterias.

7. As suas imaginações estão vindo à tona. Aonde antes seu filho costumava empurrar carros pelo chão dizendo “vruuum”, agora ele provavelmente elaborou um cenário onde o dinossauro é uma mamãe e o carro é o papai e o bloco é um bebê — bem, já deu pra entender. As suas mentes criativas estão explodindo com maneiras inovadoras de brincar com os mesmos velhos brinquedos, e é incrível de observar (e ouvir... que a mamãe dinossauro provavelmente soa terrivelmente parecida com você).  

8. O desfralde ainda não acabou. Como diz o ditado, acidentes acontecem. Portanto, mesmo que seu pequeno tenha dominado o processo em 48 horas, entenda que um resfriado, uma noite mal dormida, ou um filme super envolvente podem resultar em umas gotinhas (ou bem pior) nas roupas de baixo.

9. Rotina é a solução. Do momento em que eles abrem seus olhos sonolentos até a hora em que os fecham 12 horas depois, seu filho de três anos deseja que certos procedimentos diários ocorram — um abraço matutino, alguém que traga seus próprios pratos para a mesa no café, cantar aquela música dos “dias da semana” no caminho à escola. Qualquer que seja a sua rotina, tente mantê-la sempre que possível.

10. Tudo é uma negociação. Agora que seus filhos já têm o vocabulário para expressar por completo o que estão sentindo, eles também têm o necessário para argumentar, manipular e persuadir você a concordar com um cookie a mais em troca de ser bonzinho com os seus irmãos — o que pode ser uma bela troca.

11. Os aconchegos podem ser menos frequentes, mas de alguma maneira são melhores. Ao invés de dúzia de abraços em uma hora, você poderá receber somente um — quando o seu pequeno está impressionado e assustado ou feliz e empolgado. Mas isso vai te encher de felicidade dez vezes mais do que antes.

Nossos conselhos aos pais são apenas sugestões. Recomendamos que você também consulte um médico caso sua dúvida seja urgente ou sobre alguma condição médica.